RPG Solidário: paixão, doação e entrega – ENTREVISTA

Neste domingo (13), acontece o RPG Solidário – 3ª Edição. As atividades começam às 14h na Rua José Bonifácio – Todos os Santos – Rio de Janeiro – RJ. Segundo o idealizador do evento, Ian de Sousa Pinto, o objetivo é conseguir ajuda para crianças carentes que vivem em abrigos. Ele deu mais detalhes na entrevista:

Fantasia em Jogo – O que é exatamente o RPG Solidário? Como surgiu a ideia?
Ian de Sousa Pinto Começou em 2013. Sempre quis fazer algo que pudesse ajudar quem precisa e conheço um pouco do histórico difícil de meninos que vivem em abrigos carentes. Encontrei um perto do meu trabalho, o abrigo Criança Feliz. Me apeguei às crianças de lá, comecei a jogar RPG com eles nos finais de semana e pensei: “Mais pessoas podem fazer isso”. Pensei em fazer um evento que reunisse diversos jogadores e cada pessoa trouxesse uma doação. Estávamos esperando 10 pessoas naquele dia (na 1ª edição). Apareceram 80. A gente conseguiu reunir mais de 100kg de alimento, mais de 100 brinquedos, muitos itens de limpeza… Decidimos continuar o projeto, tentando organizá-lo pelo menos uma vez a cada ano.

Várias pessoas ao redor de uma mesa jogando RPG.
Crédito: RPG Solidário – mesa de Anima RPG durante a 1ª edição.

FJ – Que outras diferenças a edição deste ano vai ter em relação às anteriores?
IP – Este ano, muda o objetivo. Esses meninos foram retirados de uma situação familiar complexa e levados para uma outra situação que ainda é complicada, com outros meninos que eles não conhecem e tudo isso é muito confuso. Eles precisam de pessoas que deem atenção para elas. O abrigo só se responsabiliza por eles até os 18 anos. O menino vai chegando aos 17 e não tem uma estrutura sólida do que vai fazer depois… Ele já tem muito medo. Você indo a um abrigo para jogar RPG, para jogar bola com eles, só para sentar e conversar já é uma atitude muito transformadora. (…) A gente vai conversar com o pessoal para eles arranjarem um tempinho para visitar essas crianças. Cada narrador vai receber uma missão: um abrigo próximo da região onde ele mora para visitar pelo menos uma vez por mês. Nós também nos dispomos a visitar junto com ele, pelo menos na primeira vez, caso ele tenha receio e não saiba como lidar. Este é o objetivo do RPG Solidário neste ano: motivar pessoas a dar atenção para crianças que precisam de atenção. Continuaremos com a campanha de arrecadação de alimentos, brinquedos, mas agora a gente está voltado para algo diferente.

FJ – Para o visitante entrar no evento, a doação é obrigatória?
IP – Na verdade, só aconteceu uma vez de o cara vir sem doação. Até o pessoal que chega sem doação pergunta onde é que eles podem comprar ali perto, se tem alguma vendinha… Mas nunca vamos proibir a entrada de uma pessoa porque ela veio sem doação. Mas ela tem que entender que não está contribuindo para o objetivo, que é ajudar as crianças.

FJ – Quais serão as atrações do evento?
IP – Além do RPG, amigos meus vão trazer uma série de boardgames (jogos de tabuleiro). Este ano, o Grimório do Arquimago e mais um amigo meu, o Silas, vão trazer jogos como Munchkin, Boss Monster, entre outros. A gente tem vontade também de trazer o cardgame. Eu já até me articulei com algumas pessoas, mas acaba que todo ano, como a organização do evento é muito corrida, fica muito em cima para esse pessoal se planejar. Neste ano, a gente não conseguiu trazer. Basicamente, os focos são o RPG e o boardgame.

FJ – Quantos visitantes vocês esperam para o evento?
IP – De 110 a 120 pessoas, mas a gente está preparado para receber até 150. A gente estipula um limite de narradores para que tenha mesa para todo mundo jogar e nenhum narrador fique com mesa vazia. Já deixamos uns narradores de standby também. Se der um público maior do que isso, eles já vão estar prontos para começar uma mesa relâmpago no evento.

FJ – Pelo que entendi, você tem vontade de espalhar o evento.
IP – Sempre oferecemos nossa assessoria para que outras pessoas organizem o RPG Solidário nas cidades delas. A gente oferece toda nossa assessoria e conhecimento, fazemos o material publicitário para divulgar, damos dicas, falamos sobre estrutura e passamos todo o material que já temos pronto para o cara divulgar o evento na cidade dele e buscar os jogadores. Quem quiser fazer seu próprio RPG Solidário tem o nosso apoio.

Ian também citou a ajuda de algumas pessoas: Renan Matos, Robson Crispiniano e Plebeu Banguela. De acordo com o entrevistado, “O evento fica muito melhor com a força que eles dão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *