Vampiro: A Máscara 4ª edição – TEORIAS (PARTE 1)

Semana passada, a Onyx Path anunciou a quarta edição de “Vampiro: A Máscara”. Eles prometeram o lançamento para o ano que vem e, por motivos óbvios, não adiantaram muitos detalhes. Entre as poucas informações que a Onyx Path liberou é que a quarta edição vai ser um jogo do século 21. O que isso realmente significa?

Crédito: "Vampiro: A Máscara - edição de 20 anos" / Caim mata Abel
Crédito: “Vampiro: A Máscara – edição de 20 anos” / Caim mata Abel e se torna o primeiro vampiro

Um tema recorrente de “Vampiro: A Máscara” é o fato de anciões não saberem lidar com as mudanças tecnológicas e da sociedade. Por causa disso, eles precisam de neófitos. Ou seja, anciões usam vampiros mais novos para lidar com os humanos e com as novas tecnologias. Este blog acredita que a 4ª edição vai mostrar a evolução tecnológica e a interação com os mortais mudando o equilíbrio de poder no mundo dos vampiros.

Vamos pensar um pouco. Os anciões nasceram em épocas em que a mudança era muito lenta e o tempo só aumentou o anacronismo deles. Por outro lado, os vampiros mais novos foram criados numa época de mudanças muito rápidas. Os vampiros realmente novos são os que têm a melhor chance de continuar entendendo e acompanhando as transformações do mundo humano. Só precisam se esforçar.

NEÓFITOS vs. ANCIÕES

O vampiro que está em alta sintonia com o mundo humano pode pensar: “Puxa, aquele ancião precisa de mim para controlar aqueles humanos… Mas e se eu simplesmente controlar tudo eu mesmo?”. É claro que alguns neófitos já tentaram e se deram mal por causa disso. Só que agora, os mais novos começam a ter mais margem de manobra.

Eles não podem enfrentar os anciões diretamente, mas conseguem usar o mundo mortal para deixá-los cada vez mais isolados. Um ancião controla mais áreas do mundo humano, só que os neófitos têm um potencial muito maior para aumentar e manter o controle sobre esse mundo.

Ninguém pode controlar o que não entende. Os anciões cada vez menos entendem os humanos, e isso tem uma chance quase zero de ser revertido. Os vampiros realmente novos sabem como os humanos pensam e, ao contrário dos anciões, podem manter esse conhecimento se continuarem observando a humanidade de perto. Essas tendências só vão aumentar com o tempo.

O tempo, antes um aliado dos anciões, se tornando uma arma a favor dos neófitos. Como este blog já disse antes, tudo isso é apenas especulação. Mesmo que isso se confirme, o poder e influência dos anciões são muito vastos para serem superados facilmente. Se os anciões perceberem o potencial que o mundo humano atual dá aos neófitos, talvez consigam se antecipar e se manterem no topo do mundo vampírico. 




5 Comments

  1. Bom, antes do V20 isso já era uma questão forte entre Anciões e Neófitos — agora isso pode ser crucial.

    E como o mundo moderno anda mudando rapidamente e os vampiros são reconhecidamente criaturas estáticas, é inteiramente plausível que aquele seu personagem dos anos 90, hoje rumando ao posto de Ancillae, também já esteja começando a ter sinais de desgaste diante dos smartphones, do Windows 10, Tablets…

    É só ver alguns humanos nascidos na década de 50-80 e que já tem problemas em lidar com tecnologia do mundo atual — e vampiros são famosos por serem incapazes de lidar com novidades, mais que os humanos.

    Agora, nada proíbe um Ancião de aprender a usar um computador. Você tem cursos de informática para a Terceira Idade. Não é implausível que um Ancião nascido no fim do século XIX, com muito tempo e esforço, tenha aprendido a usar “esta máquina mágica” — ele só vai ser exceção, não a regra.

    Também deve se considerar o uso de ghouls (Carniçais), embora a obsessão do Laço de Sangue possa vir a se tornar uma faca de dois gumes. Um humano obcecado em agradar pode vir mais a atrapalhar do que ajudar, mas enquanto o vampiro regente estiver observando, ele é mais manipulável. A vantagem do neófito sobre o ghoul é que, se ele ainda for independente, ele ainda pensaria fora da caixa e conseguiria lidar com imprevistos com mais dinamismo.

    O que vocês acham?

    1. Vai ser um darwinismo entre Anciões. Aquele que sobrevive não é o mais forte, rápido ou rico, mas aquele que se melhor se adapta às mudanças.

  2. Esqueceu de dizer que eles informaram que o jogo era avançar o plot e mostrar o cenario pós-Gehenna. Isso pode trazer mudanças significativas para a sociedade cainita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *