NERO LARP, a fantasia que cruza continentes – ENTREVISTA – (PARTE 1)

Quem estiver na América do Norte ou na África vai encontrar um mundo cheio de sangue, intrigas e feitiços; além de elfos, anões, ogros, entre outras criaturas. O grupo NERO LARP vai ter o prazer de apresentar essa terra fantástica.

Foto de uma mulher com maquiagem e roupas escuras se preparando para interpretar um NPC.
Crédito: NERO LARP – NPC se preparando para o Live

O Fantasia em Jogo entrevistou o Diretor Nacional de Serviço ao Cliente do NERO LARP, Jonathan Schneider. Ele faz parte da organização há quase vinte anos.

Fantasia em Jogo – O que é o NERO LARP? Como começou? De onde veio a ideia?
Jonathan Schneider – NERO é um Live Action de fantasia nos EUA e no Canadá. Foi lançado em 1988 por Ford Ivey em Massachussets. Ford tinha uma loja de jogos e fazia aventuras de um dia e eventos de fim de semana para os clientes dele desde 1987 atraindo mais de 100 pessoas por evento. O jogo era chamado “Fim de semana nas Florestas”. Em 1991, um artigo sobre o NERO foi publicado na Dragon Magazine, o que chamou a atenção de milhares de jogadores. Ken Courtney e vários amigos dele em Pittsburgh viram o artigo e apareceram num evento em Massachusetts em outubro daquele ano. Então, resolveram que aquela experiência deveria ser levada para Pittsburgh. A Organização de Roleplaying de Pittsburgh (PRO na sigla em inglês) foi formada e eles criaram a própria crônica. Muitas outras crônicas começaram nos anos seguintes e já eram mais de 15 em 1998. Depois de 10 anos organizando o Live Action NERO e operando a empresa-mãe, Ford e Maureen Ivey se aposentaram do NERO e venderam a companhia-mãe para Joseph Valenti em 1998. Desde então, Valenti tem promovido o LARP em revistas e também em convenções de RPG.

FJ – Como são as campanhas do LARP NERO? Como são as histórias delas?
JS – Cada crônica tem história, enredo e NPCs próprios. Uma variedade de histórias está disponível para cada jogador. Voluntários mantém o enredo nacional ativo indo às sessões e participando de cenas com os jogadores. Escritores de enredos locais e nacionais trabalham juntos para manter uma atmosfera consistente. A história do nosso jogo é contínua e sempre está mudando, em parte por causa das escolhas de jogadores imaginativos. Já que o mesmo personagem é jogado em todos os eventos, os jogadores têm a oportunidade única de desenvolverem os personagens dele ao longo do tempo e definir as metas e objetivos deles. O sistema do LARP NERO encoraja os jogadores a submeter as histórias dos personagens e fichas contendo fatos sobre esses mesmos personagens para uso da organização, que pode providenciar entretenimento personalizado para cada jogador. Todas as campanhas do NERO estão conectadas através de um mundo chamado Tyrra.

FJ – Onde as sessões acontecem? Que tipo de lugar vocês usam?
JS – Nós fazemos aventuras de um dia em parque locais para atrair mais pessoas para o nosso hobby. Quanto aos eventos que duram todo o fim de semana, nós usamos acampamentos com cabanas para promover uma atmosfera “in game” e aumentar a qualidade do jogo.

FJ – Com que frequência as sessões acontecem? Quanto tempo elas duram?
JS – Os eventos do fim de semana inteiro acontecem das 20h de sexta até as 14h do domingo. Os eventos de dia único acontecem numa atmosfera mais solta, dão aos nossos membros uma chance de aprender sobre nosso jogo e têm um pouco de roleplay. Módulos de aventura duram duas horas no mínimo e acontecem no sábado e/ou no domingo.

Você pode encontrar informações sobre o NERO LARP clicando aqui. Leia também a segunda parte da entrevista.



 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *