Você pode fugir dos vivos… mas os mortos vão te alcançar – ENTREVISTA

Atualizado às 18:11

Neste fim de semana, a Confraria das Ideias realiza o Live Action “A PELEJA DOS VIVOS NA NOITE DOS MORTOS”. A primeira sessão acontece amanhã (31) às 18h. A segunda, no domingo às 13h. O Live é uma atração do 9º Encontro de RPG do CCJ, localizado na Av. Deputado Emílio Carlos, 3641 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo – SP. O Fantasia em Jogo entrevistou um dos integrantes da Confraria, Leandro Godoy.

Uma fusão entre esqueleto e anjo.
Crédito: pixabay – o Anjo da Morte

Fantasia em Jogo – Como surgiu a ideia do LARP?
Leandro Godoy – Surgiu do plano de fazer algo que conversasse com a data do Dia das Bruxas, mas sem cair nos estereótipos de sempre. 

FJ – Essa interação entre vivos e mortos lembra um pouco de outro LARP realizado por vocês, o “La Noche”. Gostaria que você comentasse sobre isso.
LG – A proximidade dos temas se dá pelas datas de realização: ambos próximos do Halloween. Mas a mecânica de jogo, design de cenário, ambientação, abordagem do tema e forma de construção das personagens terão uma proposta bem diferente. Não se trata de um remake com roupagem diferente. É um jogo totalmente novo, e esperamos que quem participe tenha uma experiência extraordinária e significativa conosco.

“La Noche” aconteceu no ano passado. A trama se situava numa festa em que os vivos se encontraram com entes queridos que tinham morrido. No caso de “A PELEJA DOS VIVOS NA NOITE DOS MORTOS”, é pouco provável que haja motivos para festejar. 

FJ – Quantos jogadores cada sessão vai ter no máximo?
LG – 15 participantes por sessão.

FJ – Uma sessão vai ser realizada durante a noite. A outra, durante o dia. Isso interfere no clima do jogo? Se sim, como?
LG – Interfere. Mesmo porque, a história se passa em uma noite. Estamos trabalhando na produção e teremos que fazer ainda alguns testes para sentir o quanto vai interferir e se serão necessários recursos técnicos para manter o mesmo clima e ambiente do jogo noturno. Ainda assim, o texto ainda é a base do larp, e a maior parte da imersão está nele. Contudo, todo larp é diferente, ainda que fosse realizado em iguais condições de luz e horário. Dessa forma, isso não chega a ser um problema, mas uma oportunidade.

FJ – O que esse LARP tem para ser indicado apenas para maiores de 16 anos?
LG – O texto, os elementos e o tipo de profundidade esperada para a imersão. Acreditamos que é necessário um pouco mais de maturidade para poder vivenciar adequadamente os temas propostos.

FJ – O que “A PELEJA DOS VIVOS NA NOITE DOS MORTOS” tem de diferente em relação aos outros LARPs que a Confraria já realizou?
LG – Para nós, todo larp é diferente. Ao mesmo tempo, todo larp nosso tem características próprias que sabemos que repetimos (mesmo que inconscientemente). O que posso dizer é que queremos explorar uma sinestesia maior e estamos trabalhando para atingir esse objetivo.

Veja mais informações sobre “A PELEJA” aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *